Atua na tua Rua:

Sê Voluntário!

Autora: Irene Primitivo

O meu farol em matéria profissional é a Farmácia Hospitalar; é aqui que me afirmo como farmacêutica há mais de 20 anos, focada "em ensinar o que sabe, praticar o que ensina e perguntar o que ignora." (S. Cortella)

Para além da profissão, movem-me as causas sociais, o trabalho desinteressado em prol do coletivo. Por isso, tenho-me dedicado ao associativismo nas últimas décadas. Por isso, sou voluntária do ATLAS – People Like Us. Comecei em 2013 com o projeto VELHOS AMIGOS. Atualmente, tenho este e outros projetos. Vim para ficar.

Atua na tua Rua: Sê Voluntário!

Já alguma vez pensaste o que é que o teu envolvimento livre e desinteressado pode contribuir para o bem estar de uma comunidade, do ambiente ou dos animais?

O que é que tu podes fazer pelo meu bairro?

| Ambiente, Animais, Pessoas.

Estas são as 3 áreas padrão para o exercício do voluntariado. E não precisas de integrar uma das 5 grandes organizações de ajuda humanitária (UNICEF, CARE, Save the Chlidren, AMI, Médicos sem fronteiras), ou de te inscreveres num programa de voluntariado internacional, para começares, ou para seres UM VERDADEIRO VOLUNTÁRIO.

Podes começar o voluntariado no teu bairro.

O trabalho voluntário tem sido um recurso crucial para a resolução de muitos problemas sociais, económicos e ambientais. Sabemos isto, mas apesar disso, Portugal apresenta das mais baixas taxas de voluntariado (apenas 11% dos cidadãos com mais de 15 anos desenvolvem atividades de voluntariado), contra a média europeia (24%), sendo a mais elevada taxa registada pelo Eurobarómetro na Holanda (com 57% dos residentes a referir fazer voluntariado).

Então, porque é que não somos voluntários?

As objeções que mais ouvimos são: “Não tenho tempo” e “Isto não é para mim”.

Mas o tempo é uma questão de prioridades. Nós temos sempre tempo para o que entendermos que é prioritário nas nossas vidas. Se alguma coisa fica para trás? Fica. Não era prioritário!

E porque é que “Não é para mim”? Nós pensamos que há pessoas que têm alma para a coisa. Que já nasceram assim. Que não têm de sair da sua área de conforto. Isso é um mito. Há sempre coisas que nos “obrigam a sair de nós”, a nos sentirmos desafiados. Há sempre coisas que nos custam mais. Mas é isso que é desafiante. Há sempre alguma causa que é para ti, que te toca mais.

| Ambiente, Animais, Pessoas.

Só se sabe quando se começa. O voluntariado pode ser para todos. Qualquer um pode ser voluntário porque todos temos um talento e algo para contribuir.

Escrevo isto, de alma e coração, porque é isto que vejo acontecer na minha ONGD ATLAS - People Like Us: o que é preciso é ter boa disposição, vontade e comprometimento.

O teu bairro precisa de ti.

Não tens desculpa. Asseguro-te que é mesmo verdade a outra a coisa que mais ouvimos nestas andanças do voluntariado:

Recebo mais do que dou.

São inúmeros os benefícios do trabalho voluntário para quem o realiza.

Com o exercício do voluntariado adquire-se uma maior consciência social e percebe-se que se pode ter um papel importante, ativo na sociedade. A consciência de ser útil e de contribuir para a melhoria social traz felicidade pessoal e desenvolve a autoestima. O voluntariado melhora a saúde mental e física e aqui criam-se novas amizades, desenvolvem-se habilidades, adquirem-se novos conhecimentos; encontram-se novos caminhos, e novas oportunidades. E ainda, aumenta as chances de conseguires um trabalho pago!!

DESCOBRE a tua paixão:

| Ambiente, Animais, Pessoas.

O que importa é que faças o que mais te apaixona.

O que é que te faz sair do sofá? É a primeira pergunta que deves fazer antes de abraçar uma causa voluntária.

Depois de descobrires o que fazes bem, define a tua disponibilidade de tempo e então decide-te por um trabalho voluntário que seja coerente com os teus valores pessoais.

O que cada um faz bem pode fazer bem a alguém. Esse é o espírito do trabalho voluntário, que significa colocar à disposição da sociedade um talento nosso.

Faz uma das tuas escolhas:

| Ambiente, Animais, Pessoas.

Atua na tua cidade, No teu bairro, Na tua rua,

O teu bairro espera-te.

Do que é que estás à espera?